Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
Foto: Reprodução
Dia 25 de fevereiro de 2016 | Por Brenda Cruz | Sobre Notícias e Saúde

Conteúdo em Libras

Texto em Português

Estimular é ensinar, motivar, aproveitar objetos e situações e transformá-los em conhecimento e aprendizagem. É levar a criança, através da brincadeira, a aprender sempre mais. Pode parecer complicado, mas não é: basta acreditar que o bebê vai aprender e ter vontade de ensinar. Fazer a estimulação precoce na criança com síndrome de Down é essencial para o seu desenvolvimento e para a aquisição de capacidades. Conheça aqui 9 exercícios de estimulação que podem ser feitos durante as atividades do dia a dia:

1) Na hora do banho, estimule o bebê com movimentos de pressão sobre braços e pernas, movimento circulares sobre a barriga e de cima para baixo nas costas. Isso ajuda o bebê a conhecer melhor o próprio corpo.

2) Na hora de vestir o bebê, dê preferência a roupas com abertura frontal ou nos ombros e que passem facilmente pela cabeça. Isso evita movimentos bruscos.

3) Na hora de carregar o bebê, é importante colocá-lo do lado direito e do lado esquerdo. A cabeça deve ficar bem apoiada e alinhada com o corpo enquanto ele não conseguir sustentá-la. A regra também vale quanto o bebê não estiver no colo: mude a posição dele diversas vezes para estimulá-lo.

4) Quando o bebê conseguir sustentar sua cabeça, é possível carregá-lo em uma “cadeirinha”, para que ele possa olhar o ambiente de frente. Evite carregar seu bebê com as pernas abraçadas ao seu corpo. Os braços dele devem ficar livres e as pernas, fechadas.

5) A criança com síndrome de Down precisa de limites como todas as outras. Não tenha medo de dizer “não” firmemente quando for necessário.

6) Incentive seu filho a brincar com outras crianças sempre que puder. As crianças com síndrome de Down aprendem observando e imitando os outros, e é mais fácil aprender idade como se comportar adequadamente.com outras crianças da mesma idade.

7) Quando o bebê já estiver andando, procure não facilitar seu caminho retirando móveis ou objetos. Dificuldades fazem parte da rotina de todos nós, esse pode ser um aprendizado valioso para ele!

8) A criança pode ser incentivada a correr em brincadeiras. O pular também pode ser estimulado com uma cama elástica, primeiro com apoio das mãos, depois sem. Mas atenção: qualquer brincadeira que possa provocar movimentos bruscos de cabeça deve ser evitada se a criança não tiver passado por nenhum exame para avaliar a região do pescoço.

9) Deixe que a criança tenha contato com o espelho e que possa se ver de corpo inteiro para que ela possa ganhar consciência corporal.

Fonte: Movimento Down

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+