Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
img_2454
Dia 11 de novembro de 2016 | Por Rosa Buccino | Sobre Cursos, Feiras & Eventos e Educação e Notícias

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

Pesquisas e Práticas em Acessibilidade e Inclusão na Educação foi o tema do I Congresso em Acessibilidade e Inclusão na Educação (ICaie), realizado no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), campus Cubatão, em 9, 10 e 11 de novembro.

A participação de instituições de pesquisa e ensino em todos os níveis e modalidades foi fundamental para que fossem discutidos e apresentados projetos sobre a garantia de acessibilidade e inclusão educacional.

O professor Dr. Elifas Levi da Silva, idealizador do congresso, conta que a presença dos inscritos e a receptividade ao congresso foi um sucesso, especialmente quando se considera que foi promovido pela primeira vez. Professores, pedagogos e educadores de vários estados e cidades brasileiras foram assíduos às palestras promovidas no campus do IFSP. Segundo ele, foi altamente positivo notar o envolvimento e o interesse dos participantes entre apresentações, atividades e palestras referentes à maioria das deficiências conhecidas.

Para abordar sobre Políticas Educacionais e Linguística na Educação dos Surdos, Paulo Vieira, assessor parlamentar da Deputada Federal Mara Gabrilli, destacou parte do próprio cotidiano escolar, servindo como exemplo à comunidade surda presente em sua palestra. Ele também sublinhou: “de bebê ao 4º ou 9º ano do Ensino Fundamental, a criança surda estuda com professor bilíngue (fluente na Língua Brasileira de Sinais – Libras)”. Foi taxativo quando abordou que muitos alunos surdos ingressam em uma escola inclusiva, não se adaptam e, tardiamente, conseguem estudar em uma escola bilíngue. E reforçou: “médicos e fonoaudiólogos propagam erroneamente informações sobre o uso do implante coclear como expectativa de cura, sem se preocuparem com o acompanhamento ou o desenvolvimento humano do surdo”.

O congresso apresentou materiais, estudos, cases, projetos e propostas colaborativas que visam a tornar o ambiente escolar aberto e acessível a todos os que dele podem se beneficiar, sejam pessoas com deficiências físicas (PCDs), altas habilidades, dificuldades de aprendizagem ou integrantes de minorias, que geralmente, sentem-se ou estão à margem do que a sociedade dispõe.

“No campus IFSP de Cubatão, os surdos contam com intérprete educacional (IE) e em algumas disciplinas as provas são gravadas em vídeo-Libras, com questões de múltipla escolha. Respeita-se, assim, o direito linguístico previsto na Declaração de Salamanca (Unesco, 1994)”, observou Elayne Kanashiro, professora, intérprete de Libras, Especialista em Libras e Educação de Surdos do instituto, além de colaboradora do ICaie.

O evento reuniu mais de 500 participantes entre pesquisadores, professores, estudantes e interessados que apresentaram ou participaram das atividades oferecidas. Mais informações: http://www.caieifsp.com

 

img_2495

O professor Dr. Elifas Levi da Silva tem ótimas perspectivas para 2017 e promete o IICaie.

[/tab_item][/tab]

 

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+