Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela

A judoca paulista Alana Maldonado e o jogador de futebol de 5 gaúcho Ricardinho Alves foram escolhidos os atletas do ano no Prêmio Paralímpicos 2018. A cerimônia aconteceu na noite desta quarta-feira, 12, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. O fluminense Igor Barcellos, da bocha, foi escolhido como o “Atleta da Galera”, em votação popular. Esta foi a oitava edição do Prêmio Paralímpicos, honraria que encerra a temporada do Movimento Paralímpico nacional, e que neste ano contou com transmissão do SporTV.

 

“Foi uma noite em que tivemos muito para celebrar. Foram diversas medalhas e performances em 2018, que nos orgulharam e nos fizeram vibrar. Tivemos, ainda, projetos importantes iniciados em 2018, como o Centro de Formação – Esportes Paralímpicos. E não há palco melhor do que o Prêmio Paralímpicos para comemorarmos e agradecermos”, disse Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro.

 

Nascida em Tupã, no interior de São Paulo, Alana Maldonado conquistou o título de melhor atleta feminina pelo segundo ano consecutivo. Nesta temporada, a judoca de 23 anos faturou um título mundial para o Brasil, com a vitória na categoria até 70kg. Além disso, foi ouro no Open Internacional na Alemanha e no Brasil.

 

“Foi um ano muito abençoado, com a sensação de dever cumprido. Desde que entrei no judô, sonhava com esse momento e fiz história ao conquistar a primeira medalha de ouro paralímpica no Mundial de Judô”, disse a atleta, que tem baixa visão em decorrência da doença de Stargardt, descoberta quando tinha 14 anos.

 

Ricardinho Alves, por sua vez, foi o grande destaque da conquista do pentacampeonato mundial da Seleção Brasileira de futebol de 5, em Madri, na Espanha. Além de ter sido artilheiro da competição, o gaúcho de Osório ainda se consagrou campeão nacional novamente por seu clube, o Agafuc-RS. Esta é a primeira vez que um atleta do futebol de 5 fatura a principal categoria do Prêmio Paralímpicos.

 

“Foi um ano de ouro. Com minha equipe disputei quatro competições e venci todas. No Mundial fomos campeões, fiz gol na final, fui artilheiro e melhor jogador. Estou bastante feliz e já vamos pensar no próximo ano, quando teremos Copa América e o Parapan em Lima”, disse Ricardinho, que completa 30 anos neste sábado, 15, e perdeu a visão aos 6, por causa de um descolamento de retina.

 

O “Atleta da Galera” de 2018 foi Igor Barcellos, da bocha. O fluminense recebeu 44,4% dos votos válidos. Cerca de 24 mil pessoas participaram da votação popular, nas duas fases realizadas pela internet. Igor nasceu com paralisia cerebral devido à falta de oxigênio no parto. Descobriu a bocha ao assistir pela TV aos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Em 2018 foi convocado pela primeira vez pela Seleção Brasileira de bocha e participou da BISFED Regional Open São Paulo.

 

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+