Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
Foto: Divulgação
Dia 5 de novembro de 2015 | Por Brenda Cruz | Sobre Notícias e Tecnologia

Conteúdo em Libras

Texto em Português

Com intuito de auxiliar nos processos de aprendizagem, pesquisadores do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) criaram uma ferramenta para crianças e jovens autistas. O autismo é uma condição de desordens complexas no desenvolvimento do cérebro, que ocorre antes, durante ou logo após o nascimento. Esses distúrbios podem afetar a interação nas relações sociais, dificultando a aquisição de conhecimento.

A coordenadora do projeto ABC Autismo, Mônica Ximenes, explicou que a estrutura do aplicativo é baseada em quatro níveis de dificuldade. Nos dois primeiros, a criança adquire habilidades como transposição e discriminação, e, a partir do terceiro, as atividades ficam mais complexas, abordando questões de letramento, repartição de sílabas e formação de palavras.  “Quando a criança olha para a tarefa, a própria atividade já indica o que precisa ser feito. Então, isso traz autonomia e independência para ela, porque não precisa de ajuda para entender a proposta da tarefa, o que evita distrações. A porta de entrada de aprendizagem do autista é visual, por isso, ele precisa de estruturas de aprendizagem apoiadas no modelo visual”, afirma Mônica ao site EBC.

Tatiane Regina da Paz, mãe de Heitor, de 3 anos, diz que os jogos têm ajudado seu filho desde que foi diagnosticado com autismo em 2014. “Foi uma grande ajuda, tanto que serve para ele desestressar, além de ser educativo. O aplicativo ajuda muito para prender a atenção dele, ele ficar parado e concentrado por um período razoável”, disse Regina.

Com quase 40 mil downloads, o aplicativo foi testado na Associação de Amigos Autistas de Alagoas, apresentando bons resultados.

Por Renata Lins/ Fonte: EBC

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+