Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela

Pela décima primeira vez a escola de samba Embaixadores da Alegria abrilhantará a abertura do desfile das campeãs no carnaval carioca. O grupo formado por pessoas com deficiência, principalmente motora e intelectual, apresenta-se na Marquês de Sapucaí no sábado (17/02). O tema escolhido para o enredo de 2018 é o Super-Homem, super-herói, superação,  no qual será contado os 80 anos do personagem. Como inicialmente ele foi criado para combater a corrupção política sem poderes, o objetivo é mostrar ao público a força necessária para sobreviver às loucuras da vida.

Durante o trajeto 1.400 pessoas com e sem deficiência estarão com camisetas de Super-Homem ou Mulher Maravilha. A comissão de frente terá 15 integrantes, sendo três casais de mestre-sala e porta-bandeira e 180 ritmistas na bateria. Já na ala de pessoas com nanismo serão 60 integrantes. O desfile terá o acompanhamento de uma intérprete de Libras para garantir acessibilidade aos surdos e contará com uma equipe de harmonia para controlar o tempo de 82 minutos.

“A escola faz com que seja possível a participação de todos no maior evento cultural do mundo: o Carnaval. Ninguém fica de fora. É inclusão social e emocional”, afirma Paul Davies, fundador da Embaixadores da Alegria. O inglês está no Brasil há 30 anos e se encantou com a festividade quando trabalhava como guia turístico no Rio de Janeiro. A ideia de criar o grupo surgiu em 2015, quando ele sofreu um acidente e não conseguiu desfilar. “Como deve ser para alguém com deficiência ver tudo isso e não participar?”.

 

 

Posts Relacionados

Assine a Revista D+