Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela

Reconhecido pelo Conselho Federal de Odontologia apenas em 2002, o sistema odontológico para pessoas com deficiência ainda é uma especialidade extremamente nova no Brasil: são aproximadamente 560 profissionais capacitados para oferecer tratamento odontológico às pessoas com deficiência. No estado de São Paulo, de acordo com o Conselho Regional, apenas 181 dentistas atuam nessa área.

As Casas André Luiz, pioneiras nesse trabalho, oferecem o serviço odontológico especializado aos seus pacientes desde 1961 e, ao longo dessas mais de cinco décadas, tornaram-se referência no assunto graças a um tratamento humanizado. Atualmente, a instituição realiza cerca de nove mil atendimentos e procedimentos por ano, tanto no Ambulatório de Deficiência Intelectual como na Unidade de Longa Permanência, ambos localizados em Guarulhos (SP).

São cerca de dois mil pacientes que recebem assistência odontológica pela entidade. Cerca de 72% têm deficiência grave ou profunda, o que dificulta muito o trabalho dos dentistas. De acordo com Fernando Barros, dentista responsável pela Unidade de Longa Permanência, a diferença do tratamento oferecido pelas Casas André Luiz é, justamente, a forma como os profissionais lidam com as limitações físicas e mentais dos assistidos. “É preciso dominar técnicas e abordagens clínicas que possibilitem um tratamento de qualidade e, ao mesmo tempo, ter um cuidado empático e atencioso”, afirma o especialista.

O atendimento é oferecido em todas as áreas odontológicas: periodontia, ortodontia, cirurgia oral menor, semiologia, dentística operatória e restauradora, endodontia, prótese fixa e implante. Cada paciente é analisado de forma individual, porque tem características específicas que exigem uma atenção diferenciada. As condições físicas de alguns impedem, inclusive, determinados procedimentos ortodônticos – o implante dentário e de aparelhos, por exemplo, não pode ser realizado em todos os casos.

Mas a terapia odontológica não se resume apenas à consulta médica: escovação e alimentação saudável também promovem a eficiência do tratamento. Para garantir a higiene bucal de todos os pacientes, são realizadas avaliações regulares que evitam doenças e complicações, além de um processo de conscientização de familiares e padrinhos. “Todo esse trabalho minucioso busca garantir a qualidade de vida a essas pessoas com deficiência intelectual. Esse, aliás, é o principal objetivo das Casas André Luiz há quase 70 anos”, finaliza Barros.

Posts Relacionados

Assine a Revista D+