Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
csm_PMI_2ceca7c58a
Dia 15 de maio de 2019 | Por Tacila Saldanha | Sobre Educação
Banner intérprete (2)

Instituição elabora informações em braile e a implantação de piso tátil para receber alunos cegos

 

Um novo aluno é capaz de mudar uma escola inteira. E para melhor. Essa é a experiência que Márcia Regis, diretora pedagógica do Colégio Presbiteriano Mackenzie, vai contar durante sua palestra “Inclusão escolar: eliminando barreiras e ampliando as possibilidades de aprendizagem”, no dia 16 de maio às 14h30, no Congresso da Bett Brasil Educar (https://www.bettbrasileducar.com.br/).

O programa de inclusão do Colégio já tem cinco anos, mas a cada etapa há novos desafios. O mais recente tem sido adaptar a escola para dois estudantes cegos. “Estamos adaptando o Colégio todo, com informações em braile e piso tátil. É um trabalho feito para receber esses estudantes, mas todos se percebem dentro de uma escola inclusiva”, afirma ela.

Márcia explica que, como o Estatuto do Deficiente não estabelece para que tipo de inclusão deve-se estar preparado, o importante é estar aberto para receber a todos, fazendo as adaptações conforme as necessidades aparecerem. “A meta é eliminar as barreiras físicas e pedagógicas. Realizamos as adaptações à medida que recebemos um novo aluno. O planejamento individual é feito pela equipe multidisciplinar, entendendo em que momento da aprendizagem esse aluno está e quais suas possibilidades de aprendizagem”, conta ela.

O Colégio atualmente tem 20 alunos com autismo e 10 com síndrome de Down, Há uma sala especial, com uma equipe multidisciplinar, para dar um apoio a todos os alunos que fazem parte do Programa de Inclusão. “Nosso espaço foi planejado contando com muitos recursos didáticos, mas estamos sempre aprimorando. O objetivo é levar educação de excelência para todos”, diz Márcia.

 

Sociedade inclusiva

 

Outro aprendizado interessante do Mackenzie é que toda a comunidade escolar está disposta a ajudar na inclusão. “Os pais dos nossos alunos recebem muito bem essas iniciativas. Os estudantes desenvolvem empatia e se tornam parceiros”, comemora a diretora. Márcia defende que uma escola inclusiva tem potencial para uma transformação para além de seus muros: “Essas iniciativas vão se refletir numa sociedade mais inclusiva”. Além da palestra de Márcia, o Mackenzie trará a discussão de outros importantes temas dentro da educação.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Universidade Presbiteriana Mackenzie

 

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+