Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

botao_news botao_noticia

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

Na manhã da última sexta-feira, 16, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo anunciou os vencedores do III Prêmio Melhores Empresas para Trabalhadores com Deficiência. O objetivo é dar visibilidade às boas práticas relacionadas à inclusão profissional das pessoas com deficiência e estimular as demais organizações a aperfeiçoarem seus programas de respeito à diversidade humana.

80 empresas públicas e privadas se inscreveram, 15 foram finalistas e ganharam placa de Menção Honrosa, em reconhecimento ao seu trabalho em prol da inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Os três grandes vencedores do Prêmio foram: 3º lugar: Accenture do Brasil; 2º lugar: Senac-SP e 1º lugar: Caterpillar, de Piracicaba, no interior de São Paulo.

“Esta é nossa primeira vez no prêmio e está sendo muito emocionante. Nós nos esforçamos muito, sabemos o quanto avançamos, mas, por outro lado, não sabíamos o quanto as outras empresas poderiam ter avançado mais do que nós”, afirma Michelle Bellini Marcello, coordenadora de Serviço Social da Caterpillar. “As mudanças na cultura organizacional, em respeito às pessoas com deficiência, foram as responsáveis por este prêmio”, concluiu.

O evento aconteceu no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, e contou com a presença da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella; a presidente da iSocial e uma das coordenadoras do Prêmio, Andrea Schwarz; e o diretor superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo – Sebrae-SP, Bruno Caetano; entre outras autoridades.

A Secretária Dra. Linamara lembrou a origem do prêmio, há três anos. “Nós estamos na terceira edição do Prêmio e ele era algo impensável quando nós começamos, mas nós acreditávamos que o mercado de empresas brasileiras era, sim, capaz de estar na caminhada, desenvolvendo o novo, uma sociedade solidária e sustentável, uma sociedade que olha para o desenvolvimento do bem comum.”

[/tab_item][/tab]

Posts Relacionados