Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
Destaque Site 1600x800 px
Dia 6 de março de 2018 | Por Brenda Cruz | Sobre Cinema e Notícias
Banner intérprete (2)

A noite de domingo, 04, foi a premiação do Oscar, maior e mais importante evento do cinema mundial. Entre as categorias, o curta-metragem “The Silent Child”, da atriz e roteirista britânica Rachel Shenton, conquistou o grande prêmio. O filme, escrito por ela e dirigido por Chris Overton, fala sobre uma garotinha surda de quatro anos, que vivia em um mundo silencioso até aprender a língua de sinais para se comunicar.

Já no início de seu discurso, Rachel começou a sinalizar, pois havia prometido à protagonista do filme, a atriz Maisei Sly, 6 anos, surda, que faria o discurso, caso ganhasse, em Língua de Sinais.

No discurso ela disse: “Eu prometi à nossa protagonista de seis anos que eu faria esse discurso em língua de sinais, mas as minhas mãos estão tremendo um pouco, então eu peço desculpas. Nosso filme é sobre uma criança surda que nasceu em um mundo de silêncio. Não é um filme exagerado ou sensacionalista. Isso está acontecendo, milhões de crianças em todo o mundo vivem em silêncio e enfrentam barreiras na comunicação e principalmente no acesso à educação. A surdez é uma deficiência silenciosa. Você não pode vê-la e ela não é fatal. Então, eu quero agradecer muitíssimo à Academia por nos permitir colocar esse assunto diante do grande público.”

Para Rachel, esse filme tem também uma grande importância pessoal, pois seu pai ficou completamente surdo após ser submetido a sessões de quimioterapia quando ela tinha 12 anos de idade.

Desde então, a língua de sinais faz parte da vida dela. Atualmente, Rachel é uma intérprete profissional da Língua de Sinais Britânica e é embaixadora da Sociedade Nacional das Crianças Surdas do Reino Unido.

 

Posts Relacionados

Assine a Revista D+