Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
Destaque Site 1600x800 px
Dia 23 de março de 2018 | Por Audrey Scheiner | Sobre Esporte e Notícias
Banner intérprete (2)

Em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down, que aconteceu no dia 21 de março, o Instituto Olga Kos (IOK), a Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Sociedade Esportiva Palmeiras, fizeram uma ação de conscientização durante os jogos do Campeonato Paulista.

O São Paulo Futebol Clube fez no dia anterior uma ação com 22 pessoas com síndrome de Down, entre elas 17 crianças do IOK entraram em campo no jogo das quartas de finais diante do São Caetano. O clube é parceiro há alguns anos do IOK e as camisetas da ação foram doadas pela academia Capital da Luta, do lutador de MMA Lucas Mineiro. A Capital da Luta é um centro de treinamento voltado para a prática de artes marciais, treinamento funcional e condicionamento físico. O espaço conta com os melhores profissionais da área, para quem busca aperfeiçoamento técnico, condicionamento físico e mental.

Assistidos do IOK no jogo do Palmeiras. Alegria sem tamanho!

Assistidos do IOK no jogo do Palmeiras. Alegria sem tamanho!

A ação da Federação Paulista de Futebol envolveu as partidas de quartas de final do Campeonato Paulista: Santos x Botafogo (Vila Belmiro, 19h30) e Palmeiras x Novorizontino (Allianz Parque, 21h45).

No jogo entre o Santos e Botafogo duas crianças com Síndrome de Down entraram na partida com os árbitros, vestidos com o mesmo uniforme dos juízes, fizeram o aquecimento e assistiram à competição. No intervalo, um time com Síndrome de Down do Santos jogou e as duas crianças participantes do Instituto Olga Kos apitaram a partida.

Já no jogo entre Palmeiras e Novorizontino, um jovem e três crianças entraram vestidos de árbitros com os juízes, participaram do aquecimento e assistiram à partida.

Além disso, a Sociedade Esportiva Palmeiras promoverá com duas crianças do Instituto Olga Kos uma ação em que eles serão repórteres por um dia na TV Palmeiras.

Incrível, não é mesmo? Por mais ações assim no esporte e em nossa sociedade!

 

Posts Relacionados

Assine a Revista D+