Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
Portrait of smiling seniors standing together over white background
Dia 18 de outubro de 2016 | Por Rosa Buccino | Sobre Idosos e Notícias e Saúde

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

 

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

Entre uma roda de conversa e outra, de amigos ou familiares,  alimentação é um tema recorrente, comenta-se sobre hábitos à mesa e pratos prediletos. De entradas às irresistíveis sobremesas. No entanto, é certo que, hoje em dia, muitas dessas conversas estejam recheadas de novos ingredientes, especialmente quando as pessoas estão atingindo uma fase madura e torna-se necessária uma alimentação balanceada e rica em proteínas e vitaminas.

Nesse sentido, há um grupo da população idosa que passa a ser vegetariano ao excluírem a ingestão de carne e alimentos derivados do cardápio. Há quem também deixe de consumir leite, ovos e laticínios, são chamados de vegetarianos estritos. Mas, então, é positivo passar a ser vegetariano na terceira idade? Para Cyntia Maureen, consultora e nutricionista, a alimentação vegetariana equilibrada é um trunfo e influencia a qualidade de vida sempre, especialmente quando a idade avança, pois a partir dela dá para manter um peso adequado, ser mais disposto, prevenir doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão arterial, dislipidemias (distúrbio nos níveis de lipídios e/ou lipoproteínas no sangue), doenças cardiovasculares e câncer, além de contribuir para a saúde e o desenvolvimento mental.

Cyntia comenta ser nada eficaz regular a alimentação à base de produtos de origem vegetal sem associá-la a uma vida ativa, incluindo atividades físicas. E mais: durante as principais refeições, o prato deve ser colorido e ter vários nutrientes naturais. “Ingerir ao menos cinco cores de alimentos de origem vegetal ao dia fornece um aporte nutricional adequado. Couve, brócolis, agrião, rúcula e espinafre contêm ferro e cálcio, contribuindo para a prevenção de anemia e osteoporose. Frutas cítricas têm alto teor de vitamina C, atuam no aumento do sistema imunológico, no combate aos radicais livres e na absorção do ferro ingerido. Suco de uva integral fortalece os vasos sanguíneos e ajuda o sistema cardiovascular. Alimentos alaranjados favorecem a renovação celular e a acuidade visual. Feijão e grãos são excelentes fontes de proteínas pela manutenção muscular. Sementes, como linhaça e chia, têm ômega 3 e agem pela saúde mental e prevenção de depressão”, prescreve.

———-

Visão mercadológica

Os alimentos vegetarianos estão sendo procurados pelos consumidores fieis. Para atendê-los, a Superbom fabrica alimentos de origem vegetal, livres de derivados de origem animal, de corantes e conservantes. Segundo David Oliveira, gerente de marketing da empresa, essa categoria alimentícia tem apresentado um crescimento expressivo comparado a outros segmentos do mesmo nicho mercadológico. “Nosso mix de produtos, usa, por exemplo, substitutos da carne animal, como bifes, salsichas, carne e hambúrguer de origem vegetal”, conta.

* Caso siga a alimentação vegetariana, é ideal que o idoso tenha a orientação médica.

[/tab_item][/tab]

bife-empanado

Bife vegetal empanado (foto: divulgação).

 

Posts Relacionados

Assine a Revista D+