Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
A Cia Giradança, de Natal (RN) em cena com cadeirantes. (Créditos: Cia Giradança)
Dia 16 de outubro de 2015 | Por Brenda Cruz | Sobre Cultura e Notícias

Conteúdo em Libras

Texto em Português

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em parceria com o Ministério da Cultura (MinC), o Núcleo Pró-Cultura Acessível da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o Grupo de Trabalho de Pontos de Cultura e Acessibilidade da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC), está realizando um mapeamento sobre acessibilidade cultural nos Pontos e Pontões de Cultura de todo o Brasil.

Segundo a coordenadora do Curso de Pós Graduação de Acessibilidade Cultural da UFRJ, Patrícia Dornelles, a proposta é mapear as demandas dos Pontos para a implementação de políticas de acessibilidade, como, por exemplo, a capacitação de gestores para atender pessoas com deficiência em espaços culturais.

De acordo com o Censo de 2010, mais de 45 milhões de pessoas entre 15 e 65 anos declararam ter algum tipo de deficiência, seja ela física, visual, auditiva, intelectual e/ou múltipla. Essa quantidade de pessoas representa cerca de 25% da população brasileira, proporção que aumenta para cerca de 2/3, ou duas em cada três pessoas, na população com mais de 65 anos.

As informações resultantes desse mapeamento permitirão propor políticas públicas voltadas à promoção sociocultural das pessoas com deficiência por meio de editais de fomento, oficinas, capacitações e outras atividades, visando a integração desse público expressivo nas atividades dos Pontos e Pontões de Cultura do Brasil.

“Estamos em uma força-tarefa para mobilizar e mapear o maior número de Pontos do País”, destaca uma das coordenadoras da pesquisa, Dilma Negreiros, pedagoga, gestora cultural, especialista em acessibilidade e coordenadora do Ponto de Cultura CIEMH² Núcleo, de Macaé (RJ). “Todos os envolvidos construíram a metodologia e ela foi pensada para facilitar a participação dos Pontos de Cultura”, completa.

Fonte: Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) – Ministério da Cultura

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+