Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

No último sábado, dia 11, aconteceu o 2º Cochlear Day Brasil, um dos maiores eventos do mundo reunindo pessoas surdas – implantadas ou não – no Parque Ibirapuera, em São Paulo. Uma tenda enorme foi montada para receber o encontro, que proporcionou celebração, troca de experiências e, acima de tudo, muita informação sobre as possibilidades de implantes para pessoas com deficiência auditiva.

Walter é implantado há 11 anos e recomenda o uso do aparelho.

Walter é implantado há 11 anos e recomenda o uso do aparelho.

O evento trouxe pela primeira vez Jim Patrick, criador do implante multicanal, que falou aos presentes sobre a tecnologia e seus benefícios. Patrick é reconhecido como uma autoridade mundial em implantes cocleares. O espaço amplo contou com estandes de informação sobre lançamentos, dúvidas sobre o implante e muito mais.

Aos 54 anos, Walter Kuhne é embaixador brasileiro da Cochlear Brasil. Ele tem implante coclear há 11 anos, após ter perdido a audição devido a uma meningite viral, que por sequela causou surdez profunda. “Eu fiquei um ano sem ouvir nada, após o implante eu ainda estava no hospital quando ouvi pela primeira vez, por telefone, a voz da minha filha falando ‘Oi, pai!’ foi o momento mais emocionante da minha vida”, contou o embaixador.

O evento movimentou pessoas de diferentes estados, todas reunidas para compartilhar suas histórias, conhecerem as novidades que a empresa Cochlear tem trazido para o mercado, além da troca mútua de informação e vivência como implantado. “É algo grandioso, é 360 graus, pois atende a todas as necessidade de informação. É fundamental a proximidade entre as pessoas”, conclui Walter.

Taiane veio de Balneário Camburiú- Santa Catarina para participar do 2º Cochlear Day

Taiane veio de Balneário Camburiú- Santa Catarina para participar do 2º Cochlear Day

De Balneário Camboriú, Santa Catarina, Taiane Dalcin, 23, é surda congênita e a condição só foi descoberta pela sua mãe quando a menina tinha seis meses de vida. “Minha mãe insistia que eu não ouvia, mas todos falavam que ela estava enganada, que era normal. Ela fez o teste para todos verem, pegando uma panela e batendo do lado do meu berço, enquanto eu dormia, e eu não acordei, pois não ouvia nada!”, revelou Taiane que, após a descoberta da mãe, foi a primeira criança implantada com dois anos de idade e também a primeira de todo o Estado de Santa Catarina.

 

“Eu sempre participei de eventos para implantados, é muito importante para reunir os amigos, fazer novas amizades e ajudar quem ainda precisa de informação”, contou a jovem, que hoje é uma das embaixadoras da Cochlear em Santa Catarina.

Dr. Faez Bahmad Jr. contou sobre sua experiência profissional com seus pacientes implantados.

Dr. Faez Bahmad Jr. contou sobre sua experiência profissional com seus pacientes implantados.

Fayez Bahmad Jr. é professor da Universidade de Brasília e explicou que o implante coclear é hoje o melhor dispositivo para melhorar a qualidade de vida da pessoa que tem perda auditiva. “Atuo diretamente nas cirurgias de pessoas com deficiência auditiva profunda, e a melhora é fantástica”, contou o médico, que ainda enfatizou a importância do implante para crianças: “Recomenda-se que seja feito o implante dos 6 meses de vida da criança até, no máximo, os 6 anos, pois é necessário que o cérebro receba o estímulo adequado no tempo correto”, diz o médico otorrinolaringologista.

A pequena Laura com seus pais, Mariane e César

A pequena Laura com seus pais, Mariane e César

Desde os 10 meses, Lara Lazarotti Golden Freire, hoje com dois anos, é implantada. Sua mãe, Mariene Lazarotti, 30, conta que descobriu a perda auditiva profunda da filha no teste da orelhinha logo após o parto. “Eu procurei na internet informações sobre o implante e foi assim que decidimos fazer. Desde então ela tem se desenvolvido muito bem, já fala algumas palavras. Participamos do encontro no ano passado, e hoje estamos aqui mais uma vez, pois sempre fazemos muitas amizades”.

Texto: Brenda Cruz/ Fotos: Tais Lambert

 

[/tab_item][/tab]

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+