Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
Destaque Site 1600x800 px
Dia 5 de março de 2018 | Por Audrey Scheiner | Sobre Cursos, Feiras & Eventos e Notícias
Banner intérprete (2)

O Instituto Entre Rodas & Batom movimentou diversas pessoas na Av. Paulista ontem, 4, na maior ação global para acabar com a violência contra as mulheres: o movimento One Billion Rising (OBR) trouxe para esse ano o tema Solidariedade Contra a Exploração das Mulheres. O grupo se reuniu em frente ao prédio da Gazeta para uma grande dança.

Este ano, a coreografia foi criada por Leonardo Helmer, 43, do Balé de Paraisópolis, e também pela atual bicampeã do carnaval de São Paulo, Acadêmicos do Tatuapé. O evento foi aberto a todos. “Este ano, trazemos uma coreografia que todos os participantes do movimento podem dançar e é fácil também para os cadeirantes. A música do One Billion Rising aborda muito esse tema da proteção à mulher e também às crianças e adolescentes. Isso encoraja a todos virem participar conosco”, diz o coreógrafo.

De acordo com Eliane Lemos, criadora do instituto, o evento conscientiza. “Se ainda vamos às ruas em todo o mundo por conta dessa ação, significa que ainda as estatísticas continuam a existir e que é preciso que mais pessoas saibam sobre a realidade que mulheres e meninas sofrem, sejam elas deficientes ou não”.

Eliane complementa: “Somente no Brasil o tema meninas e mulheres com deficiência tem sido abordado. Tenho acompanhado os movimentos nos mais diferentes países e não identifiquei a presença delas nas manifestações. Outro ponto importante é que precisamos falar sobre as questões que atingem especificamente as pessoas com deficiência intelectual”.

Lionice Jorge de Oliveira, 34, paraplégica estudante de biomedicina, participa do movimento desde o ano passado, acompanhada de seu cãozinho Fofinho. “Esse é um evento conhecido pelo mundo inteiro e é importante dar continuidade, vindo aqui na Paulista e mostrando a nossa dança em combate à violência contra a mulher”, afirma.

Segundo o psicólogo Daniel Renato, 52, paraplégico, o evento mostra pessoas com eficiência agindo em prol de uma causa que é extremamente necessária para a sociedade atual. “É legal ver as mulheres lutando por isso. É preciso melhorar muita coisa ainda. A base de tudo é a educação: é preciso ter pais que ensinam seus filhos a respeitar os outros”, comenta.

Veja fotos do evento abaixo!

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+