Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
Peça teatral sobre autismo reestreia hoje em São Paulo
Dia 4 de julho de 2017 | Por Audrey Scheiner | Sobre Notícias e Teatro

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

Hoje, no Teatro Sérgio Cardoso, reestreia a peça Ponto Morto, espetáculo que explora as possibilidades de um diálogo repleto de fraturas e repetições sem sentido entre um homem com síndrome do espectro autista e seu pai. Com um texto forte e contundente, nos leva a analisar e discutir um assunto pouco explorado, cercado de medo, discriminação e exclusão social.

O tema central é a incapacidade crescente do pai, na casa dos 70 anos, em aceitar as limitações que o autismo impõe ao filho, de 40 anos. De alguma forma, as personagens dialogam com antigas fábulas infantis, uma espécie de João e Maria às avessas, em que o pai procura não deixar pista para que o filho jamais “retorne” ao ponto de partida.

Ponto Morto é o ponto de partida de uma retomada, uma espécie de ponto de inflexão num relacionamento velho, cansado, quase uma fantasmagoria

Ponto Morto é o ponto de partida de uma retomada, uma espécie de ponto de inflexão num relacionamento velho, cansado, quase uma fantasmagoria.

As situações descritas procuram sublinhar a falta de sentido e o vazio da condição de ambos. A peça é uma tentativa de compreender e de prosseguir.

Ponto Morto é o ponto de partida de uma retomada, uma espécie de ponto de inflexão num relacionamento velho, cansado, quase uma fantasmagoria. É também o ponto final de uma busca e talvez de um reencontro ou renascimento.

Serviço

Ponto Morto

De Helio Sussekind

Terças, quartas e quintas, às 20h | 60 min. *Não haverá espetáculo nos dias 06/07, 25/07, 26/07, 27/07, 22/08 e 23/08.

Local: Teatro Sérgio Cardoso – R. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, São Paulo

[/tab_item][/tab]

Posts Relacionados

Assine a Revista D+