Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
Oftalmologia Amazônica - destaque
Dia 31 de maio de 2017 | Por Audrey Scheiner | Sobre Notícias e Saúde

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

botao_news botao_noticia

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

Na edição de 2017, o Projeto Amazônico de Atendimento Oftalmológico atendeu gratuitamente a 3.000 pacientes em consultas e exames, fez a distribuição de 2.900 óculos e lupas e realizou 220 cirurgias de catarata e pterígio durante os 10 dias do projeto, que ocorreu nas cidades de Coari e Tefé, no Amazonas.

A empresa alemã Zeiss, reconhecida mundialmente como sinônimo de qualidade em tecnologias ópticas, foi uma das apoiadoras da ação e disponibilizou equipamentos e consumíveis necessários para realização do projeto. Os pacientes foram tratados com o que existe de melhor em microscópios cirúrgicos, biômetros, facoemulsificadores e o mais moderno auto-refrator i.Profiler, sendo este último utilizado para realização de consultas e diagnósticos de refração mais velozes e precisos, revertendo em benefício direto para os pacientes.

Dr Marcos Cohen em exame de oftalmologia em Amazonas.

Dr Marcos Cohen em exame de oftalmologia em Amazonas.

A Zeiss doou adicionalmente 200 lentes intraoculares, tendo essas sido implantadas nos olhos dos pacientes durante as cirurgias de catarata, permitindo assim que estes voltem a enxergar. “Contribuir com nosso conhecimento e tecnologia para melhorar o bem-estar da população brasileira já faz parte da cultura da Zeiss. Sempre ficamos felizes e empolgados em ajudar as pessoas a terem melhor qualidade de vida”, comentou Bruno Vale, Diretor Geral da companhia e um dos integrantes da Equipe de Atendimento Clínico da ação.

Distribuição de óculos foi o uma das atrações do evento.

Distribuição de óculos foi o uma das atrações do evento.

Coari e Tefé

A expedição teve como propósito atender a população carente, com idade igual ou superior a 40 anos, moradores nos municípios de Coari e Tefé, no estado do Amazonas. O exame padrão incluía a medida da acuidade visual com tabela de Snellen, um teste refratométrico realizado com o i.Profiler, um exame biomicroscópio com lâmpada de fenda e, quando necessário, exame de fundo de olho.

O oftalmologista Dr. Jacob Cohen, idealizador do projeto, relatou que a escolha da região e dos municípios atendidos foi feita a partir de critérios de densidade demográfica e IDH. “Visitar essas cidades era de importância máxima para nós. Principalmente por conta das diferenças socioeconômicas do interior da Amazônia. Enquanto Manaus detém mais de 220 especialistas oftalmologistas, o interior todo tem menos de uma dezena”, afirmou o médico.

Pessoas com vulnerabilidade social receberam atendimento oftalmológico gratuito.

Pessoas com vulnerabilidade social receberam atendimento oftalmológico gratuito.

Na cidade de Tefé, a equipe deparou com um casal que exemplifica bem essa realidade. Cegos de ambos os olhos há cerca dez anos, marido e mulher, apesar de viverem juntos, só se comunicavam pelo tato e audição. “Conseguimos operar os dois no mesmo dia, quase simultaneamente. Quando se encontraram após saírem da sala cirúrgica, já com a visão de um olho de volta, o casal se abraçou emocionadamente”, relatou Cohen.

[/tab_item][/tab]

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+