Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS | Leitor de Tela
Foto: Divulgação
Dia 14 de janeiro de 2016 | Por Brenda Cruz | Sobre Comportamento e Notícias

Conteúdo em Libras

Texto em Português

Segundo levantamento da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, em 2015, 60% das pacientes vítimas de acidentes causados por quedas em piscina, cachoeira e água rasa foram atendidos no verão, entre os meses de janeiro e março. Os dados mostram ainda que 100% dos casos resultam em lesão medular com o comprometimento do movimento de todos os membros (tetraplegia).

De acordo com o médico fisiatra da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, André Sugawara, a falta de cautela e o consumo de álcool estão entre as principais causas. “O que nos chama atenção é a diminuição da idade média das vítimas. A maior incidência dos acidentes em 2015 aconteceu com pacientes entre 19 e 29 anos, diferente do ano passado, que a idade estava entre 25 e 35 anos”, analisa o fisiatra. Ainda segundo o médico, os banhistas devem tomar cuidado ao mergulhar em águas desconhecidas e no caso de cachoeiras, não mergulhar em águas com menos que o dobro da altura.

Além destas orientações, Sugawara alerta para que os usuários não entrem na água ou mergulhem embriagados, não participem ou permitam brincadeira quando estiverem nadando ou mergulhando e, ao mergulhar, sempre que possível, estendam os braços ao lado da cabeça para protegê-la. Evitar saltar de lugares muito altos e “saltos ornamentais” também ajudam a prevenir acidentes, complementa o fisiatra.

Rede Lucy Montoro

A Rede Lucy Montoro atende casos de lesões medulares, amputações e má-formação, lesões encefálicas do adulto (LEA), traumatismo craniano e acidente vascular encefálico, paralisia cerebral e dor incapacitante. Os interessados em receber tratamento devem procurar a unidade da Rede Lucy Montoro mais próxima da residência da rede e apresentar encaminhamento médico de uma unidade pública de saúde.

A Rede de Reabilitação Lucy Montoro é a primeira instituição brasileira a conquistar a acreditação da Commission on Accredition of Rehabilitation Facilities (CARF). Criada em 2008, a rede conta atualmente com 17 unidades em funcionamento que realizam mais de 100 mil atendimentos por mês. Referência em reabilitação para pessoas com deficiência e doenças incapacitantes, o atendimento é realizado por uma equipe multidisciplinar, composta por médicos fisiatras, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, assistentes sociais e outros profissionais especializados.

Fonte: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+