Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
David Robinson, cadeirante é um dos personagens da Internacional School que aparecem no material pedagógico e comprovam o respeito às diferenças desse sistema educacional.
Dia 28 de junho de 2016 | Por Rosa Buccino | Sobre Educação e Notícias

 

 

David Robinson, cadeirante é um dos personagens da Internacional School que aparecem no material pedagógico e comprovam o respeito às diferenças desse sistema educacional.

David Robinson, cadeirante, é um dos personagens da Internacional School que aparece no material pedagógico e comprova o respeito às diferenças desse sistema educacional.

Durante a Bett Brasil Educar 2016, a International School (IS), criadora do primeiro programa de ensino bilíngue do mundo a utilizar kits LEGO® Education, com um método inovador baseado no conceito aprender fazendo, anunciou uma parceria com o renomado sistema educacional Griggs International Academy, introduzindo uma proposta inédita de internacionalização para escolas de nosso país. Com isso, passou a oferecer ensino bilíngue da Educação Infantil ao Ensino Médio, incluindo dual diploma – certificado brasileiro e norte-americano –, acesso direto às inúmeras universidades em todo o mundo, entre elas,  Andrews University, Canadian University, Adventist University of France, além de imersão cultural de estudantes e professores em intercâmbios no exterior.

Virgínia Garcia: pensar a inclusão é um dos deveres de educadores e pedagogos.

Virgínia Garcia: pensar a inclusão é um dos deveres de educadores e pedagogos.

Segundo Virgínia Garcia, gerente de publicação da International School, além de toda bagagem do sistema recentemente implantado, o programa bilíngue também foca na inclusão social. Prova disso, é o visual destacado no material didático disponibilizado aos alunos. “Trata-se de uma proposta pedagógica do programa bilíngue, que preza os preceitos da inclusão, uma vez que estimula o respeito às pessoas com deficiências por meio de alguns personagens evidentes nesse material”, ressaltou Alynne Iglésias, coordenadora pedagógica do Colégio Legolar, em São Luís, Maranhão, que é uma das três escolas brasileiras que adotaram o modelo inédito de internacionalização.

Por Rosa Buccino (editora de projetos especiais – Revista D+)

Posts Relacionados

Acesse a Revista D+