Referência em inclusão e acessibilidade!
ACESSO GRÁTIS| Leitor de Tela
instituto-cacau-destaque-08032017
Dia 8 de março de 2017 | Por Audrey Scheiner | Sobre Notícias e Saúde e Superação

[tab]
[tab_item title=”Conteúdo em Libras”]

[/tab_item]
[tab_item title=”Texto em Português”]

Com 11 anos de trabalho e mais de 700 consultas realizadas por mês, o Centro de Apoio à Criança com Anomalia Urológica (Cacau) desenvolve um belo trabalho assistencial na capital de São Paulo e recebe pacientes de todo o Brasil. A organização já forneceu atendimento gratuito a várias famílias necessitadas e agora luta por ajuda financeira, além de mais reconhecimento pelas pessoas.

A ideia de criar o centro começou no Hospital São Paulo, na zona sul paulista, por parte de um grupo de médicos do setor de urologia, liderados pelo Dr. Antônio Macedo, que verificou que crianças chegavam lá e não conseguiam o atendimento correto. “Desde que eu fiz minha extensão universitária na Alemanha, enxergava um dia poder criar e construir um modelo de atendimento suplementar, que o Hospital não conseguia realizar plenamente”, conta.

O Dr. Antônio, então, juntou-se  a um grupo de 27 médicos especializados em atendimento em urologia pediátrica da Unifesp. “Montamos o Cacau oficialmente em 2012, , em uma casa com capacidade para acolhimento a 15 famílias de todo o Brasil. Fora o atendimento médico com consultas gratuitas”, declara.

Agora, de acordo com o criador do instituto, foi realizado outro projeto, de consultas, no Cacau 2, com três consultórios e uma suíte para hospedagem de jovens médicos residentes. “Queremos seguir um caminho independente e crescer sem depender por completo das doações que hoje recebemos e que são muito bem-vindas”, complementa o doutor.

A iniciativa pioneira ajudou e vem ajudando muitas famílias, como a de Cleonice Gomes Neves, de 30 anos, vinda do Mato Grosso. “O Cacau caiu do céu para mim, que tenho uma filha com problemas sérios na vista, causados por uma deficiência renal, e moramos muito longe, sem condições de um tratamento e acompanhamento constante”, afirma a mãe.

A Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) está aberta às contribuições e qualquer pessoa sensibilizada pela causa pode colaborar por meio de um canal virtual, através de um espaço no site do Cacau, que tem produtos imaginários (adoramos essa! <3), como Capa da Coragem, Pó de Pirlimpimpim, entre outros, para cativar as pessoas e pedir sua ajuda de um jeito lúdico; ou ligar no número:  (11) 5587-1490.

Visite o site!

www.cacau.org.br

[/tab_item][/tab]

Posts Relacionados